Mais um ano, vou participar na Gala de Zarzuela no Teatro Elma com a Banda Ateneo Musical da Póvoa do Caraminhal, dirigida por Manuel Sobral e acompanhado pola soprano Alba López Trillo.

Vou interpretar as romanzas “Amor, vida de mi vida” de Maravilla, “Oye, bella prisionera” de La leyenda del beso e “Mi aldea” de Los Gavilanes; e também os duos “Que está esto muy bajo” de La del manojo de rosas e “Somos dos barcas” de Katiuska.

Dentro do festival Espazos Sonoros, vou colaborar com o Obradoiro de Achegamento à Música Antiga. Vai-se realizar em Santa Cristina de Ribas de Sil a 8 de setembro. Modera o Andrés Díaz e participam também María Gimenez, Felipe Rodríguez García, Uxía Delgado e Pablo Ruibal. Um luxo.

Mais informação aqui.

Gabriel Fauré: Requiem

Ernani Aguiar: Aleluia Oxala

Eliseu Mera, barítono

Mila Ut, soprano

Orquestra Clásica de Vigo

Coral da Orquestra Clásica de Vigo

Coro Friedenskirche

 

Teatro Afundación, Vigo, 4 de outubro às 20h30

Fernando Swiech, diretor

Kulturkirche Altona, Hamburg, 12 de outubro às 20h.

Manuel Martínez, diretor

Programa de zarzuela com a soprano Esperanza Mara e a Banda Ateneo Musical da Pobra no Teatro Elma, dias 11 e 12 de agosto. Para a reserva de bilhetes deve-se ligar ao 981 843 281.

Interpreto as peças a seguir:

– Jacinto Guerrero: “Mi aldea”, Los gavilanes.

– José Serrano: “Junto al puente de la peña”, La canción del olvido.

– Pablo Sorozábal: “Calor de nido” e “Somos dos barcas”, Katiuska.

Imagens da interpretação de Der Schulmeister de Telemann o passado 30 de junho na Igreja de Nossa Senhora da Mercê, com a Orquestra Praeludium e a Escolania da Catedral de Santiago, dirigidas por Mateo Iglesias e por José Luís Vázquez.

Regresso este sábado ao Barroco -e a Compostela- com esta maravilhosa cantata cómica atribuída a Telemann.

Imagens de Olalla Lojo do concerto do passado 15 de março, onde interpretámos Labirinto azul (I). Poemário Vindel do Juan Eiras com a Orquestra Clássica de Vigo.

O próximo 15 de março, no Auditório Municipal de Vigo, recuperamos Labirinto azul (I). Poemário Vindel de Juan Eiras com a Orquestra Clássica de Vigo, dirigida por Manuel Martínez. Trata-se da minha segunda colaboração com esta orquestra, com a qual já interpretara o Te Deum de Charpentier. 

Esta obra, em cuja estreia já participara em 2014, programa-se com a intenção de despedir o Pergaminho Vindel da sua estadia no Museu do Mar de Vigo.

Mais informação e venda de billetes aqui.

Uns dias atrás recebim uma encomenda mui especial: interpretar o papel solista da cantata cómica de Telemann Der Schulmeister. Vai ser o próximo junho com o coro da Escolania da Catedral de Santiago, que dirige o meu bom amigo José Luís Vázquez, acompanhados pola orquestra Praeludium dirigida por Mateo Iglesias.

O passado 23 de dezembro, eu e o Cándido Cabaleiro tivemos o privilégio de dar um pequeno recital na Casa de Rosalia, utilizando mesmo o piano que possuía a família da poeta. Uma das peças que soaram foi esta “Dous cantares” de Fernando Buide.